14 comentários

Top 10 Videojogos Favoritos

Mais um Top 10, e desta vez falo um pouco sobre os meus jogos favoritos. Não pensem nisto como uma lista definitiva ou  um ranking de qualidade, mas antes como uma lista dos jogos que mais me influenciaram. E claro, como sou do contra, vou fazer isto na ordem ascendente.

1. GTA San Andreas

Chrono Trigger. Ai está. É esse o jogo que estaria aqui ou não fosse o San Andreas um jogo tão absurdamente divertido e ridiculamente absurdo que me acabou a roubar tantas horas da minha vida. É pior que o tabaco (não, não fumo) e maratonas de Sopranos. Sozinho ou com amigos, com cheats, com mods ou vanilla (curiosamente, uma paródia do “rapper” está ausente deste jogo passado no ínicio dos anos 90, que pena, ou pelo menos ainda não a encontrei) é um jogo que continua a esboçar sorrisos quase dez anos depois do seu lançamento. Não acreditam em mim? Experimentem parar durante 10 minutos em frente à auto-estrada de Las Venturas (vejam o caos! Isto é jogabilidade emergente!) ou dar um casetada a um polícia de San Fierro e ouvir o que ele tem para dizer (“I’m kicking names and taking ass! Oh wait-“). É pena a Rockstar ter se tornado numa, bem, estrela de Rock e se ter esquecido um pouco das origens ultimamente. Vamos a ver GTA V, vamos a ver…

2. Chrono Trigger

RPGS à muitos, mas os verdadeiramente memoráveis são poucos e Chrono Trigger safa-se por ter um argumento que não se leva demasiado a sério e que dá o devido espaço às personagens memoráveis (coisa que também fica a favor de Final Fantasy IX). Não é um jogo muito grande, mas é consistente e até as aventuras secundárias são parte integrante da história. Lembrem-se, o que interessa é a qualidade, não a quantidade. Isso, e aquela banda sonora fantástica!

3. Shadow of the Colossus

Um jogo que me manteve curioso desde o ínicio (bem ao estilo de Another World) e que me deixou boquiaberto ao avistar o primeiro “colosso”. Não obstante o inimigo gigante (vêem? Rima), é um jogo súbtil que conta a história com um mundo que vale mil cutscenes.

4. Jet Set Radio

Embora seja fruto de uma equipa um pouco inexperiente (e nota-se um pouco, mas só um pouco) não deixa de ser um triunfo de design e um jogo que é uma experiência, obrigatório a qualquer “gamer”.

5. Beyond Good and Evil

O exemplo perfeito de como a atenção ao detalhe e o cuidado podem criar um jogo coesivo e mais divertido. Tal como Jet Set Radio, é mais que a soma das suas partes e tal como Shadow of the Colossus, não são só as cutscenes que têm o protagonismo.

6. Dark Messiah of Might & Magic

Tal como San Andreas, Dark Messiah entra aqui pela simples razão que é divertido! A história é cliché e os níveis já os conheço de trás para a frente, mas isso não me impede de clicar em New Game todos os anos.

7. Castlevania Aria of Sorrow

Foi Super Castlevania IV que me introduziu à série, mas, verdade seja dita, foi este jogo, e uma dose de febre, que me deixaram com a *ahem* febre dos metroidvania. É uma excelente introdução à série que vai aumentando o perigo e a emoção à medida que subimos o castelo.

8. Outrun 2006: Coast 2 Coast

Se o Burnout nos deixa largar as frustações em cima de um carro de luxo, Outrun 2 está uns furos acima e faz-nos esquece-las ao comando desse carro, e com uma loura ao lado. Outrun 2 é o derradeiro jogo arcada do século XXI que faz tudo por tudo para deixar o condutor/jogador confortável, sem por isso se descuidar com a dificuldade dos desafios.

A primeira versão de casa de Outrun 2 foi lançada na Xbox, mas chegou também a ser lançado, na sua versão 2006: Coast 2 Coast, na PS2 e PC. Curiosamente, parece que se joga melhor com a vibração do comando desligada (e definitivamente com um comando que tenha triggers).

9. Maui Mallard in Cold Shadow

Continuando a minha tendência de me focar no aspecto de um jogo, Maui Mallard entra na lista por ser um dos jogos que mais prazer me dá a ver a correr no ecrã. As físicas podem não ser perfeitas mas é um jogo muito bem construido e mais um óptimo exemplo de um jogo que é uma autêntica experiência.

10. Oddworld: Abe’s Oddysee

Ok, é verdade que a aventura original de Abe não envelheceu tão bem como Abe’s Exoddus, mas não há dúvida que a magia daquele mundo estranho mantém-se.

Ainda me lembro da primeira vez que dei de caras com Abe’s Oddysee, na Demo 1 da Playstation. Na altura o jogo marcou-me, juntamente com Heart of Darkness, com a sua introdução enigmática e até assustadora para um puto de 6 anos. Acabei por ser sugado para o mundo estranho de Abe e nunca cheguei a recuperar totalmente.

11! Minecraft

O que é que posso dizer deste “jogo” que não foi já explicado noutros sites na Internet? É uma “experiência” e o verdadeiro Massively Multiplayer Online Game para jogar com os amigos. A solo é óptimo para se jogar a ouvir podcasts.

Os suplentes:

Crazy Taxi 2
Sonic The Hedgehog
Metal Slug
Super Mario World
Worms Armageddon/World Party
Gunstar Heroes
Sumotori Dreams?
Lemmings
Zoo Tycoon
Typing of… the Dead

…e a série com mais personalidade do mundo dos videojogos, Kunio Kun.

Anúncios

14 comments on “Top 10 Videojogos Favoritos

  1. Só joguei 5 deles: San Andreas (que muito gostei, mas o GTA3 teve um maior impacto em mim), Shadow of the Colossus (pessoalmente foi uma desilusão devido à extrema repetição, mas o primeiro boss ainda é um dos momentos mais impressionantes), Beyond Good & Evil (que já falei no tópico dele), Dark Messiah of Might & Magic (que sinceramente pouco me lembro, a ver se o volto a jogar) e Minecraft (<3).

    • O Dark Messiah é daqueles jogos um pouco únicos que precisam de um pouco de habituação aos controlos, por isso, sugiro que leias um guia no gamefaqs ou youtube e experimentes o jogo outra vez. É daqueles jogos que me continuam a surpreender com novas maneiras de fazer as coisas ou novos truques.
      Deixa-me um bocado triste que este jogo, que na minha opinião tem o melhor sistema de combate com espadas que já vi, seja esquecido enquanto outros tomam o seu lugar.

      GTA 3 também teve um maior impacto em mim, mas na altura tinha poucas hipóteses de o jogar. Cheguei a jogar e adorar Vice City mas foi a imensidão de San Andreas, o modo coop com um amigo, um verão inteiro e pasteis de feijão e limonada que me deixaram rendido ao jogo xD.

  2. O San Andreas e o Abe’s Oddysee… Gostei da escolha do Abe’s Oddysee e admira-me não ser um jogo com presença assídua em “Retro Tops” pois acho que é um dos jogos mais originais e talvez o mais intemporal que me passou pela mão.. o Chrono Cross e o Chrono trigger são jogos que quero jogar antes de morrer =P

    • O Chrono Trigger marcou-me na altura. Não o larguei enquanto não o acabei. Ainda sou da opinião que 90% dos RPGs actuais são super derivativos. Muitos RPGs podiam aprender com Chrono Trigger e Final Fantasy 7 (na primeira parte passada em Midgar) como fazer uma história memorável e interessante que não me deixe adormecer em frente ao ecrã.
      Aliás, hás de ir ao site 1UP.com. Eles recentemente fizeram um especial do FF7 em que explicam isto muito bem, e também têm uma review do Chrono Trigger feita para o especial “essential 100 games”. Procura que devem estar lá os artigos.

      O Abe’s Oddysee é mesmo essencial. Pode ser muito frustrante hoje em dia comparado com o Exoddus, mas é daqueles jogos que têm mesmo que ser vistos e jogados em primeira pessoa. É por isto que não dou classificações aos jogos. Tem falhas, mas tem que ser jogado na mesma, nem que seja com um emulador e save states.

      Já agora, a Oddworld está a trabalhar num remake do jogo 😀 , juntamente com os restantes.

  3. Espanta-me não ver nada de 8-bits na lista, ou mesmo coisas das portáteis.

    • O Aria of Sorrow é portátil 😀

    • Como o Berto disse, o Aria of Sorrow é portátil. Se calhar confundiste-te com a imagem e veio-te o Symphony of the Night à cabeça 😛

      Eu iniciei-me com a geração 16-32 bits e por isso é ai que estão os jogos que mais me marcaram. No entanto isto não quer dizer que não adore outros jogos 8 bit ou portáteis. Adoro as séries Kunio Kun e Wario Land e jogos como Alex Kidd, Bubble Bobble, New Zealand Story ou até os jogos da SNK do Neo Geo Pocket Color.

  4. Falha minha, lembrei-me do SotN assim que imediatamente. 🙂 Mas também estava a pensar no antigo GameBoy onde há tanta mas tanta coisa boa.

  5. […] primeiras imagens do remake HD de Abe’s Oddysee, desta vez intitulado de New ‘n’ Tasty (claro, nome escolhido por fãs ) fizeram a sua […]

  6. […] já leram o meu Top 10 de videojogos favoritos então já sabem que eu adquiri uma fraqueza por Castlevania após […]

  7. […] como outro jogo com uma ambiência fantástica e direcção de arte também estranha e caprichada, Oddworld: Abe’s Oddysee, a banda sonora de Soul Reaver é em grande parte ambiental e parte integrante deste mundo, usando […]

  8. Gostei da lista!

    A série Chrono também me marcou bastante e o Trigger é sem dúvida um dos melhores RPG’s de sempre!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: