5 comentários

Análise: Donald Duck in Maui Mallard (MD,SNES,PC,GB)

“Aranhas de metal gigantes? Mordomos fantasma arrepiantes? Esta coisa pode ser mais profunda do que alguém imaginava. É capaz de ser altura para uma mudança de fato…”

…e assim começa a odisseia de Maui Mallard, o alter ego de Donald que é parte igual ninja e… Magnum P.I…

261113-maui-mallard-in-cold-shadow-windows-screenshot-introduction

Não é segredo nenhum que a minha infância foi passada a jogar Mega Drive, NES e Super Nintendo na forma de emuladores. Se por um lado isto não é a mesma coisa que ter jogado numa consola a sério (o que só fiz com a minha Playstation), por outro, deu-me a oportunidade de descobrir por conta própria os clássicos das respectivas consolas e atestar a sua qualidade em primeira mão.

E isto, claro, também me levou ao encontro de muitos outros jogos igualmente bons que, por uma ou outra razão acabaram por ser ignorados pelo público em geral. Graças aos emuladores da Mega Drive e Super Nintendo pude dar a volta à questão e jogar pérolas como este Donald Duck in Maui Mallard.

maui_m

Está tudo no manual…

Foi em 1994 que o mundo dos videojogos foi tomado de assalto pelo sucesso de Earthworm Jim, uma criação da Shiny Interactive que conseguiu de alguma forma concentrar o mundo de um cartoon irreverente no espaço limitado dos 16 bits das consolas da época. Claro que este sucesso não passou ao lado da casa de Mickey e companhia e a Disney, que até então tinha cedido a sua licença a outras companhias para a criação de videojogos, decidiu meter as mãos à obra e criou assim a Disney Interactive Studios.

d

Maui Mallard, lançado originalmente em 1995 apenas para a europeia Mega Drive e Brasil, foi um dos primeiros títulos destes recém-formados estúdios e foi uma tentativa da Disney de criar a sua própria grande série de jogos de plataformas e acção cartoon que pudesse alcançar o mesmo sucesso da franchise da Shiny. Claro que, para este fim, seria necessário agregar o talento de outras áreas de entretenimento mais comuns à criação de cartoons e foram assim chamados para ajudar no projecto os animadores da Creative Capers (Nightmare Ned entre outros projectos da Disney e Warner Bros.) e os compositores Michael Giacchino (Medal of Honor, Up, Ratatouille, Star Trek 2009), Patrick J. Collins e Steve Duckworth (o nome é verdadeiro, acreditem em mim).

E assim nasceu uma lenda.

E assim nasceu uma lenda.

Esta versão da Mega Drive foi um ano mais tarde seguida por uma conversão para a Super Nintendo (conhecida apenas como Maui Mallard in Cold Shadow) com gráficos e composições melhoradas e com um layout de níveis diferente (se bem que a versão original para a consola da SEGA continua a ter as melhores animações). Esta versão, no entanto, foi apenas lançada nos continentes americanos.

A esta seguiram-se uma versão para Windows baseada na original para a Mega Drive que vem com gráficos melhorados (ainda prefiro as scanlines da versão de MD) e uma banda sonora orquestral que pode ser ouvida em qualquer leitor de CDs (sim, ainda existem alguns) e, mais tarde, uma versão para Game Boy justamente esquecida.

d2s

A Disney tinha grandes planos para a série, que incluíam uma sequela (o manual do jogo dava pistas de futuras aventuras) e talvez até uma série de animação (coisa que até o nosso amigo Earthworm Jim conquistou) mas, infelizmente, como já sabem, a história não acaba bem. Vou-me poupar a contar a história toda que já é grande e complexa que baste e vou antes vos deixar abaixo os links para a um artigo de várias partes escrito por BigMex (Remaking an Icon) no seu blog no 1UP.com.

[Aproveito já agora para vos avisar que este blog do BigMex tem alguns dos melhores artigos que já li. O melhor mesmo é aproveitarem para lerem/guardarem o que puderem pois o 1Up.com chegou recentemente ao fim da linha e um dia destes vai para a grande butt offline no céu. Tanto os escritores de lá como bloggers como este têm material fantástico para ser lido e aconselho-vos a fazerem como eu e a seguirem o seu trabalho seja a partir de twitters, outros sites, etc.]

Podemos sempre voltar como zombies (Maui Mallard 2).

Podemos sempre voltar como zombies.

Cold Shadow

Os meus irmãos deixaram-me uma boa colecção de livros de banda desenhada da Disney que não me cansava de ler, reler, trocar com os amigos e ler outra vez e os meus preferidos do monte eram sempre aqueles que contavam as histórias dos patos. Ainda hoje em dia o Pato Donald continua a ser, provavelmente, a minha personagem favorita de todos os tempos. O que há para não gostar? É o pato do povo, a personagem mais humana da Disney e muito mais bem amado na Europa do que é na America do Norte. O Pato Donald tem tanto azar quanto vocês e tantas contas a pagar como o típico português. Claro que também gosto da restante família de patos criada por Carl Barks mas este continua a ser o meu favorito.

mm-gen-6

Sabendo isto, não é nenhuma surpresa que eu adore (quase) qualquer jogo protagonizado pelo pato, mas Maui Mallard é qualquer coisa de especial. Maui Mallard foi, na altura, uma experiência arriscada e é não só muito mais extravagante do ponto de vista de design que a maior parte dos videojogos daquele tempo (as cores brilhantes com grandes contrastes, as inspirações de Art Deco e a banda sonora e gráficos dignos de um filme de animação) como é também um contraste ao tipo de ambiente normalmente protagonizado por personagens da Disney nos jogos da época (Donald é agora o detective Maui Mallard, equipado com uma arma de insectos 1935 Westchester, numa espécie de aventura Noir, completa com cenários sinistros e ninjas, à procura de um ídolo perdido).

mm-gen-1

É uma pena que um jogo como este tenha sido e continue a ser ignorado no meio de jogos como Castle of Illusion ou Quackshot quando se fala de bons jogos da Disney na era dos 16 bits (a falta de um lançamento internacional e do nome de Donald no título original também não ajudou muito).

É verdade que o jogo não é perfeito. Ambas as versões (as principais, MD e SNES) são vitimas de saltos flutuantes, scrolling agressivo quando viramos a personagem da esquerda para a direita e vice-versa (vejam este video para perceberem a importância disto), uma horrível detecção de colisão em certas áreas (tentem fazer swing com o bastão na Mega Drive ou atacar um inimigo, outra vez com o bastão, na versão SNES) e uma pequena falta de afinação nos controlos em geral (a versão de Super Nintendo é um pouco melhor com os swings de bastão, removendo também algumas secções de plataformas mais frustantes, mas também é vitima de controlos e camera ligeiramente piores).

maui-mallard-in-cold-shadow-07

Sim, o detective transforma-se num ninja no segundo nível.

Mas não deixa de ser um bom jogo (certamente bom o suficiente para merecer um lugar ao pé dos restantes jogos da Disney de 16 bits) que consegue ser mais que a soma das suas partes (lá vou eu outra vez) graças a uma direcção de arte fantástica e a uma banda sonora que vai ficar na vossa cabeça durante semanas e semanas. Este jogo pode não ser um marco na história dos videojogos, mas para mim, marcou-me.

(Já agora, se quiserem experimentar a versão Mega Drive do jogo num emulador, visto que não existem reedições do jogo, a versão a testarem é a “Titulo-do-Jogo (E)[f1]” que permite correr as animações do jogo à velocidade original)

Resta-me deixar-vos com os links, uma galeria de imagens e a banda sonora do jogo para verem porque é que eu adoro este jogo:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Maui Mallard in Cold Shadow SNES – Level Intro:

Maui Mallard in Cold Shadow SNES – Main Theme:

Maui Mallard in Cold Shadow SNES – Mojo Mansion:

Maui Mallard in Cold Shadow SNES – Ninja Training Grounds:

Maui Mallard SNES – The Test of Duckhood:

Maui Mallard in Cold Shadow SNES – The Flying Duckman:

Prós:

  • Ambiente fantástico;
  • Música e arte digna de um filme animado;
  • Pato Donald a fazer cosplay de ninja e Magnum P.I.;
  • Também não é nada mau como jogo de plataformas de acção.

Contras:

  • Saltos flutuantes frustrantes…
  • …detecção de colisão chata…
  • …e scrolling agressivo irritante.

Links

1Up, BigMex:

http://www.1up.com/do/my1Up?publicUserId=5533646

Remaking an Icon:

http://www.1up.com/do/blogEntry?publicUserId=5533646&bId=9071187

http://www.1up.com/do/blogEntry?publicUserId=5533646&bId=9071818

http://www.1up.com/do/blogEntry?publicUserId=5533646&bId=9072566

http://www.1up.com/do/blogEntry?publicUserId=5533646&bId=9073226

http://www.1up.com/do/blogEntry?publicUserId=5533646&bId=9073844

http://www.1up.com/do/blogEntry?publicUserId=5533646&bId=9074533

Super Mario World camera logic

TV Tropes:

http://tvtropes.org/pmwiki/pmwiki.php/VideoGame/DonaldInMauiMallard

Sega 16:

http://www.sega-16.com/2006/11/donald-in-maui-mallard/

HG 101:

http://hg101.proboards.com/index.cgi?board=recent&action=display&thread=8056&page=4

Anúncios

5 comments on “Análise: Donald Duck in Maui Mallard (MD,SNES,PC,GB)

  1. Com cada coisa que vais desenterrar 😀 Não fazia ideia que isto existia, mas os visuais são muito bonitos (alias como eram muitos dos sidescrollers desta época).

  2. Bom artigo, gostei de ler, assim como sempre gostei desse jogo! Vim a conhecê-lo através de uma pseudo revista qualquer que havia nos anos 90, penso que era um suplemento do Jornal de Notícias se a memória não me falha. Tal como tu, também devorava livros da Disney durante a infância e o Donald e companhia (mas especialmente o Donald) sempre foi a minha personagem preferida. Existem vários bons jogos do Donald espalhados por diversas plataformas, mas esse é na minha opinião um dos melhores, apesar dos problemas com os controlos que tu bem referiste. Apenas terminei a versão Mega Drive.

    • Obrigado 🙂 O Donald é o maior. A versão de super nintendo tem um layout diferente nos níveis e uma qualidade de som muito melhor. Os controlos também são um pouquinho melhores. Normalmente é esta a versão que jogo.

      A versão de PC tem uma banda sonora orquestral mas do pouco que já ouvi não é nada de especial e o jogo em si recusa-se a correr em qualquer coisa mais nova que um Windows 98!

  3. […] que dê vontade de voltar a pegar no comando assim que chegamos ao fim. Curiosamente, tal como em Maui Mallard, nem todas as versões do jogo partilham os mesmo […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: